Favo

Você é a marca de café

neste sofá obsoleto

O sussurro que se dissipa…

Um fim de tarde, cafuné,

O último soneto

que um beijo antecipa.

Frisson! O súbito torpor

que assenhora a aorta.

O astuto senhor

desliza pela porta…

Na janela, alvorada.

A lascívia retornou

Entrego-me, devorada,

por parte daquilo que sou.